O Mundo dos Cultos


Ser culto está decididamente na moda... mas poderá o mundo dos cultos ser um mundo livre, sem que na alma dos que nele habitam, pese o conhecimento da realidade, da miséria e da hipocrisia? Será a sua liberdade de expressão uma voz sincera, ou será apenas o eco da influência e das ideias organizadas, defensoras de demagogias consumistas e generalizadas? Será o mundo dos cultos, um mundo mais inteligente que o mundo dos homens simples? Poderão os cultos ser tão nobres de espírito e sábios de pensamento, quanto aqueles que se cultivam através da experiência de vida e do conhecimento de causa?

Não sei a resposta a estas perguntas. Sou apenas uma pessoa simples. Alguém que não tem a pretensão de ser chamada de culta. Viver é o meu lema. A minha ignorância é a minha riqueza. O que me define são as minhas ideias e as minhas decisões. A verdadeira cultura, assim como a sabedoria dos homens, não se aprende nos livros que já foram escritos, mas sim naqueles que ainda ninguém escreveu.

Não dedico este meu primeiro post aos que gostam de se manter actualizados,  porém sem fazer da informação e da cultura que da mesma advém, o ar que respiram, mas sim àqueles que acham que ler o jornal, é saber tudo sobre a vida. Àqueles que acham que devorar todos os debates políticos, é entender política. Àqueles que acham que ler um livro que não entendem, mas porque é um best-seller, é sinónimo de inteligência.

Eu também leio o jornal, também vejo debates e também leio livros. Mas a pergunta que fica é apenas uma... o que faz cada um de nós depois disso? Quem optamos por ser? Alguém que escolhe viver de acordo com as suas verdadeiras convicções, ou alguém que limita os seus horizontes a uma cultura abstracta e imposta, apenas para compensar a sua ignorância e pobreza de espírito?
Helga

5 comentários:

Kongas Blog disse...

Muito Bom, continua a escrever e bem!!!

Bjs Kongas

Mim disse...

Obrigada amigo Kongas, pela visita e pelo incentivo.

Beijocas

Gizelda disse...

Oi,Helga...
Vim retribuir a visita e dizer que fiquei muito feliz com sua presença.
Muito bom o que está postado aqui. Também vou segui-la...
Beijo.

Em tempo :essa história de " cultos" é muito relativa, pois muitos deles nem tem noção de quem são.Cercam-se de corolários, mas permanecem pobres de essência individual. Será que vale a pena?

Helga disse...

Com toda a certeza que não, Gizelda. O vazio da alma não se preenche com a influência das palavras, mas sim com a sua essência.

Obrigada pela sua agradável visita. Volte sempre.

Beijo

pandora disse...

adorei! é isto mesmo!! :)