O Mundo dos Cultos (1 ano depois)

Ontem, dia 21 de Janeiro, este blog fez 1 ano, e para assinalar a data decidi (re)publicar o meu 1º post. Um texto que escrevi num desabafo precisamente no mesmo dia que decidi criar este espaço como partilha de ideias e expressar de opiniões. A todos os que por aqui passaram e aos que contribuíram para que estas Planícies da (minha) Memória fossem tão longe, o meu mais profundo e sincero OBRIGADO!


Ser culto está decididamente na moda... mas poderá o mundo dos cultos ser um mundo livre sem que na alma dos que nele habitam, pese o conhecimento da realidade, da miséria e da hipocrisia? Será a sua liberdade de expressão uma voz sincera, ou será apenas o eco da influência e das ideias organizadas e defensoras de demagogias consumistas e generalizadas? Será o mundo dos cultos um mundo mais inteligente que o mundo dos homens simples? Poderão os cultos ser tão nobres de espírito e sábios de pensamento quanto aqueles que se cultivam através da experiência de vida e do conhecimento de causa?

Não sei a resposta a estas perguntas. Sou apenas uma pessoa simples. Alguém que não tem a pretensão de ser chamada de culta. Viver é o meu lema. A minha ignorância é a minha riqueza. O que me define são as minhas ideias e as minhas decisões. A verdadeira cultura, assim como a sabedoria dos homens, não se aprende nos livros que já foram escritos, mas sim naqueles que ainda ninguém escreveu.

Não dedico este meu primeiro post aos que gostam de se manter actualizados,  porém sem fazer da informação e da cultura que da mesma advém, o ar que respiram, mas sim àqueles que acham que ler o jornal é saber tudo sobre a vida. Àqueles que acham que devorar todos os debates políticos é entender política. Àqueles que acham que ler um livro que não entendem, mas porque é um best-seller, é sinónimo de inteligência.

Eu também leio o jornal, também vejo debates e também leio livros. Mas a pergunta que fica é apenas uma... o que faz cada um de nós depois disso? Quem optamos por ser? Alguém que escolhe viver de acordo com as suas verdadeiras convicções, ou alguém que limita os seus horizontes a uma cultura abstracta e imposta, apenas para compensar a sua ignorância e pobreza de espírito?
Helga

13 comentários:

luisa disse...

Parabéns por este 1ºano, Helga!
Sobre a cultura e o conhecimento, o que posso eu dizer. Digo como aquele outro... que só sei que nada sei.
Beijinho.

Rogério Pereira disse...

Olha só tem um ano e faz redacções bem bonitas e cheias de ensinamentos para a gente aprender e passar a ser e não apenas passar a dizer...

Hoje assino-me

ROGÉRITO

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá Helga :)

Não poderia, de forma alguma, deixar de me associar á comemoração do aniversário do teu blog :) PARABÉNS, POIS. O meu fez dois anos há uma semana, como dei conta. E deve ser mais ou menos ha um ano que nos visitamos mesmo sem a regularidadenos comentários (falo por mim, claro).

Quanto à repetição do teu 1º post, nao podias ter comemorado de melhor maneira este aniversário.

Se é verdade que a cultura também depende da forma como cada um a sente, também é muito verdade tudo o que escreves no 2º e último parágrafo. Gostei muito :)

Um beijinho especial de parabéns na data de hoje... :):)

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Parabéns pelo ano de lindos textos e poesias.

Nada mais diverso do que cultura/sabedoria/estudo...
Dentre estes, prefiro ter a sabedoria de vir aqui mais vezes.

Beijo grande

:)

Gizelda disse...

Querida Helga...

Um ano é muito pouco perto de toda sensibilidade que vc tem para nos oferecer em textos tão belos.

Que venham muitos mais...Obrigada por partilhar comigo páginas tão significativas.

beijo.

AC disse...

Inquietações, questões, dúvidas...
Porém, ao ler aquilo que foi postando ao longo do tempo, vejo uma mulher construída, sensível, trilhando um caminho de equilíbrio e na procura constante da harmonia.
Parabéns pelo primeiro aniversário na blogosfera, Helga! Tem sido um prazer imenso poder acompanhar o seu percurso.

Beijo :)

A Luz A Sombra disse...

Helga:
Eu posso dizer uma "grande asneira"
mas penso que ser culto, não é devorar montes e montes de livros, ver montes e montes de filmes, assistir a montes e montes de debates sobre todos os assuntos sejam eles quais forem.
Se não se fizerem pausas para pensar sobre o que se leu, o que se viu, o que se viveu e não se debaterem pontos de vista com os outros, ficamos como uma única visão de tudo, a nossa, e isso não é enriquecedor.
Admito estar errada, mas é o que penso.
Bom fim de semana
A Luz A Sombra

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sei que estou muito atrasado (mas é afalta de tempo e as ausências que me têm impedido de navegar), mas não quero deixar passar em claro o aniversário e desejar que, no p´roximo ano, continuemos por aqui.

Insana disse...

Parabens pelo seu 1º ano de muitos

Lindo seu texto, tambem estou aqui para expresar gritar por não ser entendida.

bjs
Insana

Fê-blue bird disse...

Hoje pensei visitar as amigas das quais tenho tantas saudades, como é o teu caso.
Parabéns pelo aniversário deste teu cantinho tão acolhedor.
Para mim ser culto é ser fiel aos seus valores, é ser sincero e aberto ao conhecimento. Aqui, sempre encontrei isso tudo.

Beijinhos minha amiga.

Irina disse...

O Pétalas tem um desafio, aceitas?

Mil pétalas...

Brown Eyes disse...

Helga tinha-me passado esta tua publicação. Estive ausente muito tempo e...passou. Eu sou daquelas que escolhe viver de acordo com as suas verdadeiras convicções, sempre. Ser culta ou não de acordo com as convicções que foram impostas por uma sociedade de consumo nunca me interessou. Interessa-me é conseguir sempre analisar o que me rodeia de maneira a fazer feliz as pessoas de quem gosto e de poder eu sê-lo também.
Beijinhos

Helga disse...

O meu muito obrigado a todos!

Um beijinho :)