Solidão


Solidão não é a falta de alguém para conversar, namorar, passear ou fazer sexo. Isso é carência.


Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não voltam mais. Isso é saudade.


Solidão não é o retiro voluntário a que nos impomos para realinhar os pensamentos. Isso é equilíbrio.


Tão pouco é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsivamente, para que revejamos a nossa vida. Isso é um princípio da natureza.


Solidão não é o vazio de gente a nosso lado. Isso é circunstância.


Solidão é muito mais do que isso.


Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.


Um poema de Francisco Cândido Xavier, que gentilmente colhi nos jardins da alma

30 comentários:

...uma nota... disse...

Que lindo. Espero que o jardim da tua alma não esteja sob este sentimento.
Adorei o poema.
De facto és uma caixinha de surpresas.

Beijoca

Helga disse...

...uma nota... felizmente não, mas também adoro este poema. Obrigada!

Beijoca :)

Olga disse...

Um poema lindissimo, a cada verso uma realidade que salta. Adorei! Beijinhos.

Catsone disse...

Helga, não sei se sabes, eu sou espírita. Conheço as obras do Chico Xavier desde a minha infância e satisfaz saber que começa a ser mais conhecido pelo nosso rectângulo. E escolheste logo um lindíssimo texto escrito por ele mas ditado, provavelmente, por outro artista.
Bj

Helga disse...

Olga, são precisamente essas 'realidades' que tornam este poema lindo e arrepiante. Obrigada!

Beijinhos :)

Helga disse...

Catsone, não sabia. Pessoalmente creio que é o primeiro poema que leio deste autor, pelo menos que me tenha ficado na memória. É assustadoramente encantador.
E provavelmente quando dizes "ditado por outro artista", é porque eu mesma o adaptei ao nosso português. Espero com isso não lhe ter retirado a sua verdadeira essência.

Beijinhos :)

Tulipa disse...

Muito bonito Helga! Kiss

Jr Vilanova disse...

Nossa! Quantas verdades! Quanta sabedoria... alias esse era o verdadeiro sobrenome de Chico Xavier, não? SABEDORIA!

Bela escolha para essa quarta-feira... fez refletir!

Jr.

Helga disse...

Tulipa, obrigada! Kisses :)

Helga disse...

Jr, honestamente não sei. Conheço apenas este poema, que adorei assim que li, pois é mesmo como dizes... quantas verdades para reflectir. Há sentimentos que pela semelhança da dor, por vezes nos confundem.
Mais uma vez, obrigada pelas tuas palavras.

Beijinhos :)

Catsone disse...

Helga, quando falo em "ditado por outro artista" falo em psicografia, ou seja, ele escreve o que os espíritos lhe ditam. Se quiseres faz uma pesquisa sobre isso e sobre a vida de Chico Xavier.
Bj

Teresa disse...

Belas palavras, e tão verdadeiras!
Boa escolha!
E parabéns pelo destaque do teu blogue no Crónicas do Rochedo.
Bjs

Ava Santos disse...

Realmente é um texto lindíssimo. Adorei! E acho-o muito, mas muito verdadeiro...

Um beijo com cheiro a chuva, Ava.

Poetic GIRL disse...

Ora aí está uma excelente definição de solidão... bjs

Alda disse...

Lindo....

Um beijo

Helga disse...

Catsone, farei com certeza. É um assunto do qual pouco ou nada sei, mas é sempre bom aprender um pouco mais. Obrigada.
Beijinhos :)

maria teresa disse...

Escolheu lindamente o autor para com as palavras dele nos dar a noção de solidão ou do que não é solidão.
Estar só ou estar sózinha são situações diferentes.
Temos que saber qual delas escolher, até podemos escolher as duas, depende de cada uma de nós...
Eu sei que gosto muito, por vezes, de estar sózinha mas nunca me sinto só.
Abracinho

Helga disse...

Teresa, obrigada! Também gostei muito. E obrigada pela dica do destaque no Rochedo. Desconhecia.
Beijinhos :)

Helga disse...

Ava, eu sei... obrigada pelo cheirinho da chuva.
Beijinhos :)


Bela, absolutamente. Perfeita mesmo!
Beijinhos :)


Alda, obrigada por mo dares a conhecer.
Beijinhos :)

Helga disse...

Maria Teresa, obrigada. Também concordo consigo quando diz que estar só e estar sozinha, são situações diferentes. De estar um pouco sozinhos todos nós gostamos e precisamos. Eu também gosto. Mas estar só vai um pouco mais além disso...
Abracinho :)

Lara disse...

Tens um dedinho para escolher poemas, que não te digo nada...
É lindo.
Helguinha, sofro de carencia, e ainda ninguem me raptou.
Buuuuuuuuuaaaaaaaaaaaaa.

Helga disse...

Lara, obrigada! És muito querida.
Quanto ao rapto... tem calma. Quando menos esperares encontras um raptor inspirado, disposto a pedir o maior resgate do mundo sob pena de te proporcionar os melhores momentos da tua vida.

Beijinhos :)

Brown Eyes disse...

Lindo poema Helga. Não conhecia. Beijinhos

Lady Me disse...

Não conhecia, gostei muito.
Diz tudo em tão pouco.

Beijinhos

Patty disse...

Adorei!
Bjocas
Patty

Helga disse...

Brown Eyes, Lady Me e Patty... obrigada! É realmente muito lindo.

Beijocas :)

Melga disse...

Helga, perante o poema...sinto-me só!

Jinho*

Helga disse...

Melga, creio que todos nós já nos sentimos sós a dada altura. Talvez precisemos de nos sentir assim, para reconhecer todas as outras formas de não estarmos sós, mas apenas sozinhos. Sei que não serve de consolo, mas... aqui fica um beijinho e um abraço virtual. Espero que te reencontres em breve.

:)

MZ disse...

Eu sei o que é a Solidão porque houve tempos em que
me senti sozinha no meio de tanta gente... o que tinham para me oferecer não era o suficiente...

Agora sei como combater essa solidão, levou tempo, mas aprendi!

beijinho grande

Helga disse...

MZ, como disse ao Melga, creio que todos nós já nos sentimos perdidos. Aprender a combater o isolamento nem sempre é fácil. Tal como tu, também o consegui fazer e felicito-te por isso. Sabemos como é estar nos dois lados da solidão.

Beijinhos :)