'Chove' no dia Mundial da Poesia


Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego
Chove. O céu dorme. 
Quando a alma é viúva do que não sabe, o sentimento é cego
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta
Chove longínqua e indistintamente
Como uma coisa certa que nos minta
Como um grande desejo que nos mente
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa

25 comentários:

Lady Me disse...

O Fernando Pessoa é brilhante, não me canso de dizer. Não conhecia, adorei!

Beijinho*

Helga disse...

Lady Me, eu também acho. Este é absolutamente divino e hoje lembrei-me... com este início de Primavera molhado, a nostalgia teima em ficar.

Beijinhos :)

Patty disse...

Adorei, Fernando Pessoa é Fernando Pessoa.
Aqui onde moro não chove faz sol, finalmente.
Bjocas
Patty

Helga disse...

Patty, que bom! Aqui ainda chovisca...
Beijocas :)

Jr Vilanova disse...

Helga,

É a primeira vez que estou aqui e de cara já encontro Fernando Pessoa... é m inal para eu não deixar de vir nunca mais!rs... sou o novo seguidor!

Quanto ao seu comentário no Contatos Imediatos, agradeço e te convido a voltar outras vezes, o espaço lá é nosso!

Um lindo domingo!
Jr.

Helga disse...

Jr., muito obrigada pela visita e muito obrigada por teres gostado do meu (nosso) humilde espaço. Fernando Pessoa é o Poeta entre os poetas!
Também já me tens lá como tua seguidora, pois também gostei bastante do teu (nosso) espaço.

Beijinhos e bom Domingo :)

gizelda disse...

Helga, querida...
Esse é " o poeta dos poetas"...ele me instiga,me alegra, me desassossega... nem sei de "qual deles" gostar mais.

Esse poema que vc escolheu é belíssimo, mas em se tratando dele o quê não é?

Beijo, bom domingo e...depois da chuvinha virão as flores.É só esperar.

Catsone disse...

Fernando Pessoa é sempre uma bela escolha.
Bom domingo!

Helga disse...

Gizelda, concordo em absoluto. É realmente o Poeta entre os poetas. Tudo nele é poesia e realidade.

Muito obrigada e um bom Domingo!

Beijinhos :)

Helga disse...

Catsone, obrigada! Bom Domingo!

Beijinhos :)

Ava Santos disse...

Uma boa escolha.Um poeta maravilhoso para exprimires no primeiro Domingo de Primavera, em que a chuva se mistura com a esperança e o desejo.

Um BeiJJJJo Ava.

maria teresa disse...

Nada me apetece...
Escolha em sintonia com o que a grande maioria neste momento pensa...
Abracinho

Olga disse...

Talvez tenha chuvido poesia. Beijinhos.

Teresa disse...

Fernando Pessoa, sabe sempre bem.
Bjs

Diário de Lisboa disse...

Quando chove gosto de estar em casa, no sotão a ouvir a chuva cair.E a ler. É sempre tão bom ler Fernando Pessoa.
Obrigado pela partilha.

Helga disse...

Ava, muito obrigada. É o meu poeta preferido. Tinha que ser mencionado neste dia.
Beijinhos :)

Maria Teresa, é verdade... nada apetece...! O sentimento é geral.
Abracinho :)

Olga, aqui choveu um pouco mais do que poesia (infelizmente). A 5 Km de onde moro, houve até inundações. Mas hoje o Sol parece querer brilhar.
Beijinhos :)

Teresa, nada a acrescentar. Sabe sempre bem.
Beijinhos :)

Diário, eu também adoro chuva e ouvi-la cair em tudo quanto é sítio, só para me deliciar com o seu som inspirador e tão apaziguador. Neste poema de Fernando Pessoa, quase que a consigo ouvir cair mesmo num dia de Sol. Ele tem esse poder, por isso gosto tanto das suas palavras. Obrigada pela sua visita.
Beijinhos :)

...uma nota... disse...

Tão lindo Helga. E ao contrário de Fernando Pessoa ("...nada em mim sente..."), tu sentes e de uma forma muito especial.

Beijinho e ua boa semana

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Olhe, sabe que esse poema não conhecia?
Há na chuva o grande mistério: dela vem a vida, vem também a morte, vem a abertura de ferias, vem a cicatrização das chagas.

Fernando Pessoa mexe com meu coração.

Beijo, Helga, e uma boa semana para ti

=)

Helga disse...

...uma nota..., lindo foi o teu comentário. Muito obrigada!

Beijinhos :)


Ana Cristina, concordo contigo, a chuva é realmente bastante enigmática e aqui retratada pelas palavras de Fernando Pessoa, ganhou ainda mais encanto.

Beijinhos e uma boa semana :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

A foto está divina. E o poema é simplesmente apelativo. Há sempre outra dimensão na chuva. Chove. E nada apetece.

Bjinhos amigos

Helga disse...

Daniel, muito obrigada! Há realmente outra dimensão na chuva e Fernando Pessoa consegue expressar isso muito bem neste poema. Quase que se consegue ouvir... e nada apetece.

Beijinhos :)

Brown Eyes disse...

Mais um lindo poema de Fernando Pessoa que não quiseste esquecer neste dia mundial da poesia em que chove. Beijinhos

MZ disse...

Não há dúvida...
Fernando Pessoa, é GRANDE!
Sempre que o leio consegue surpreender-me.

Lindo este poema!

Helga disse...

Brown Eyes, adoro chuva e adoro Fernando Pessoa. Juntar os dois na intensidade dessas palavras foi muito bom.

Beijinhos :)

Helga disse...

MZ, não há mesmo dúvida nenhuma. É absolutamente GRANDE, e como dizes, surpreende-nos a cada poema e a cada palavra que parece ler a nossa alma.
Obrigada!

Beijinhos :)